Movimento Paulistano de Luta Contra a Aids call [11] 98212-6950 email mopaids@gmail.com

Congresso de DST e HIV: Adele Benzaken pede que estados e municípios trabalhem em harmonia com Ministério da Saúde para o enfrentamento das ISTs

Dr. Mauro Romero recebe homenagem surpresa com 1º Medalha Walter Belda, durante a abertura do Congresso Brasileiro da Sociedade de DST

Agência Aids
12/07/2017

Três congressos com foco no HIV e ISTs (infecções sexualmente transmissíveis) estão acontecendo simultaneamente, nesta semana, no Rio de Janeiro (RJ). São eles: o 22º Congresso Mundial de Doenças Sexualmente Transmissíveis, HIV, 11º Congresso da Sociedade Brasileira de Doenças Sexualmente Transmissíveis e 7º Congresso Brasileiro de Aids.

Nesta quarta-feira (12), durante a abertura do congresso brasileiro, a dra Adele Benzaken, diretora do Departamento de IST, HIV/Aids e Hepatites Virais afirmou que pela primeira vez o Brasil conta com uma gestão no Departamento que coloca as ISTs no centro das ações.

“Finalmente podemos medir a prevalência do HPV e o impacto da vacina que tanto custa para o nosso país. Ainda, declarar que o Brasil vive uma epidemia de sífilis na frente de todo o Brasil, inclusive da mídia, foi ato de coragem do Ministério”, afirma Adele.

A diretora garantiu que outros avanços só serão possíveis se todas as áreas se envolverem. “Independentemente da crise, nós crescemos. É preciso que os estados, municípios e todas as esperas trabalhem de maneira harmônica com o Ministério da Saúde. Essa é a chave para o enfrentamento das ISTs."

Dra. Angélica Espinosa, da comissão cientifica do evento, orgulhou em dizer que os especialistas internacionais que acompanham a programação desde o domingo (9) elogiam e a organização e as mesas.

“Muita gente acreditou no fracasso desses congressos. O país está em crise, mas aqui está cheio de pessoas que trabalham, querem aprender e buscam inovação. Isso são características que o brasileiro tem bonito”, conta a médica.

Medalha Walter Belda

Pela primeira vez, no Congresso Brasileiro da Sociedade DST uma medalha é entregue. Batizada com o nome do professor Walter Belda (1924/1987), a homenagem não estava na programação e foi uma surpresa para o dr. Mauro Romero Leal Passos, presidente da Sociedade Brasileira de DST.

“Muita gente merece essa medalha. Eu agradeço a minha família que insiste em apoiar um sonho. É uma felicidade saber sobre todo esse carinho”, diz Romero muito emocionado.

Em um vídeo homenagem também surpresa, entre os colegas e amigos de Romero a Dra Espinosa afirma: “DST para o Mauro não é uma linha de pesquisa, mas é a vida dele. Ele faz tudo isso com muito amor”.

As programações dos congressos seguem até quinta-feira (13).